FAZENDO A CONEXÃO : TRANSPORTE ATIVO E CIDADES MAIS SAUDÁVEIS

As cidades ao redor do mundo estão enfrentando uma grande crise: baixa qualidade do ar, inatividade física e lesões no trânsito. Isso está causando um aumento dramático nos problemas de saúde, de acordo com o novo Policy Brief da UITP, ‘Desbloquear os benefícios da mobilidade para a saúde’. Felizmente, existe uma solução: transporte ativo

Atividade física insuficiente foi identificada pela Organização Mundial de Saúde como o quarto principal fator de risco para mortalidade global. Devido ao nosso estilo de vida sedentário, obesidade, doenças cardíacas, derrames e certos tipos de câncer e diabetes estão em ascensão. A poluição do ar urbana e as lesões causadas pelo trânsito também são responsáveis por mais 2,6 milhões de mortes anualmente, principalmente em países de baixa e média renda.

“Andar a pé e de bicicleta, combinado com o transporte público, pode evitar que muitos dos 3,2 milhões de mortes por inatividade física”

A forma como escolhemos circular pelas cidades está tendo um impacto direto em nossa saúde, mas há uma alternativa: os benefícios para a saúde do transporte ativo (caminhada e ciclismo combinados com transporte público) podem evitar muitos dos 3,2 milhões de mortes por inatividade física. Comparado com a experiência sedentária de dirigir um carro, o transporte público desempenha um papel central no incentivo a viagens mais ativas, já que a maioria das viagens de transporte público também envolve uma caminhada ou um ciclo até uma parada ou estação.

Transportes públicos urbanos eficientes trazem grandes benefícios para a saúde, não só para facilitar estilos de vida mais ativos, mas também combatendo as mudanças climáticas, reduzindo o congestionamento do tráfego e reduzindo a poluição do ar e do ruído. O transporte ativo também tem benefícios econômicos diretos: se, por exemplo, cidades europeias selecionadas tivessem a mesma participação modal cicloviária de Copenhague, 76,6 mil empregos extras poderiam ser criados.

Em última análise, as políticas de transporte urbano podem aumentar ativamente a saúde pública ou representar um risco para a saúde da sociedade. Acertar, concentrando-se no transporte ativo, faz sentido não apenas em prol da nossa saúde, mas ajudará a transformar nossas cidades em lugares mais verdes, prósperos e agradáveis para se viver e fazer negócios.

Saiba mais acessando os links abaixo:

https://tti.mydigitalpublication.co.uk/publication/?m=63358&i=707684&p=44